reflexoes2017_img_destac

Os Salmos de Davi (Parte 2)

Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão. Salmos 51:10-13.

Respiram a mesma confiança as palavras escritas por Davi quando, como rei destronado e despojado da coroa, fugia de Jerusalém pela rebelião de Absalão. Exausto com a dor e cansaço de sua fuga, ele e seus companheiros demoraram-se ao lado do Jordão algumas horas para descansar. Despertou com o chamado para fugir imediatamente. Nas trevas, a passagem daquele rio profundo e torrentoso teve de ser feita por toda aquela multidão de homens, mulheres e crianças; pois bem perto estavam, após eles, as forças do filho traidor. (mais…)

Leia Mais

reflexoes2017_img_destac

Ações de Graças e Louvores!

Porque o SENHOR consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden, e a sua solidão como o jardim do SENHOR; gozo e alegria se achará nela, ação de graças, e voz de melodia. Isaías 51:3.

Enquanto o povo viajava pelo deserto, muitas lições preciosas se lhes fixavam na mente por meio de cânticos. Na ocasião em que se livraram do exército de Faraó, todo o povo de Israel participou do canto de triunfo. Ao longe, pelo deserto e pelo mar, ecoava o festivo estribilho, e as montanhas repercutiam as modulações de louvor: “Cantai ao Senhor, porque sumamente Se exaltou.” Êxo. 15:21. Muitas vezes na jornada se repetia este cântico, animando os corações e acendendo a fé nos viajantes peregrinos. (mais…)

Leia Mais

reflexoes2017_img_destac

Os Salmos de Davi (Parte 1)

Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Salmos 103:1.

As mais antigas bem como as mais sublimes expressões poéticas que se conhecem, encontram-se nas Escrituras. Educação, 159.

Pelo cântico, Davi, entre as dificuldades de sua vida tão cheia de mudanças, entretinha comunhão com o Céu. Quão suaves são suas experiências como um pastorzinho, conforme se refletem nestas palavras:

”O Senhor é o meu pastor; nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, Guia-me mansamente a águas tranqüilas. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, Não temeria mal algum, porque Tu estás comigo; A Tua vara e o Teu cajado me consolam.” Sal. 23:1, 2 e 4. (mais…)

Leia Mais