nascer_sol_meditacoes_2018

O Segundo Dízimo

Conforme está escrito: Espalhou, deu aos pobres; A sua justiça permanece para sempre. (II Coríntios 9:9).

A fim de promover a reunião do povo para serviço religioso, bem como para se fazerem provisões aos pobres, exigia-se um segundo dízimo de todo o lucro. […] Este dízimo, ou o seu equivalente em dinheiro, deviam por dois anos trazer ao lugar em que estava estabelecido o santuário. Depois de apresentarem uma oferta de agradecimento a Deus, e uma especificada porção ao sacerdote, os ofertantes deviam fazer uso do que restava para uma festa religiosa, da qual deviam participar os levitas, os estrangeiros, os órfãos e as viúvas. Assim, tomavam-se providências para as ações de graças e festas, nas solenidades anuais, e o povo era trazido à associação com os sacerdotes e levitas, para que pudesse receber instrução e animação no serviço de Deus. Em cada terceiro ano, entretanto, este segundo dízimo devia ser usado em casa, hospedando os levitas e os pobres, conforme Moisés dissera: ”Para que comam dentro das tuas portas, e se fartem.” Deut. 26:12. Este dízimo proveria um fundo para fins de caridade e hospitalidade. Patriarcas e Profetas, 530. (mais…)

Leia Mais

nascer_sol_meditacoes_2018

O Emprego do Dízimo – Parte II

Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais? (I Coríntios 9:11).

O dízimo é separado para um uso especial. Não deve ser considerado fundo para os pobres. Deve ser dedicado especialmente ao sustento dos que estão levando a mensagem de Deus ao mundo; e não deve ser desviado desse propósito. (RH, 1 de dezembro de 1896).

Foi-me mostrado que é um erro usar o dízimo para atender a despesas ocasionais da igreja. Neste ponto, tem havido um desvio dos métodos corretos. Seria muito melhor vestir de maneira menos dispendiosa, reduzir vossos desejos, praticar a abnegação e atender a essas despesas. (mais…)

Leia Mais

nascer_sol_meditacoes_2018

O Emprego do Dízimo

Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho. (I Coríntios 9:14).

Deus deu orientação especial quanto ao emprego do dízimo. Ele não quer que Sua obra seja entravada por falta de meios. Para que não haja uma obra acidental, nem engano, Ele tornou bem claro o nosso dever sobre esses pontos. A porção que Deus reservou para Si não deve ser desviada para qualquer outro desígnio que não aquele por Ele especificado. Ninguém se sinta na liberdade de reter o dízimo, para empregá-lo segundo seu juízo. Não devem servir-se dele numa emergência, nem usá-lo segundo lhes pareça justo, mesmo no que possam considerar como obra do Senhor. Testemunhos para a igreja, Vol. 9, 247. [OE 224-225]. (mais…)

Leia Mais

nascer_sol_meditacoes_2018

Digno é o Obreiro do seu Salário

Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina; Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. (I Timóteo 5:17-18).

Quando um homem entra no ministério, ele deve receber dos dízimos o suficiente para sustentar sua família. Ele não deve sentir-se que é um mendigo…

Muitos ministros estão em suas sepulturas, levados até ali por tristeza e desapontamento, e pelas dificuldades [que foram] colocadas sobre eles, porque eles não receberam o suficiente por seus labores. (Man. 82, 1904). Manuscript Releases, Vol. 1, 188-189. (Tradução livre). (mais…)

Leia Mais

nascer_sol_meditacoes_2018

As Ofertas Voluntárias ao Senhor

Cada homem dê conforme propôs no seu coração, não com má vontade ou por necessidade; porque Deus ama um alegre doador. (II Coríntios 9:7). BKJ.

As contribuições exigidas dos hebreus para fins religiosos e caritativos, montavam a uma quarta parte completa de suas rendas [25%]. Uma taxa tão pesada sobre os recursos do povo poder-se-ia esperar que os reduzisse à pobreza; mas, ao contrário, a fiel observância destes estatutos era uma das condições de sua prosperidade. Patriarcas e Profetas, 527.

A fim de que haja fundos na tesouraria para a manutenção do ministério, e para atender aos pedidos de auxílio para empreendimentos missionários, é necessário que o povo de Deus dê alegre e liberalmente. Solene responsabilidade repousa sobre os pastores, qual seja a de expor perante as igrejas as necessidades da causa de Deus e ensiná-las a ser liberais. Quando isto é negligenciado, e as igrejas deixam de contribuir para as necessidades de outros, não somente a causa do Senhor sofre, mas é retirada a bênção que deveria vir sobre os crentes. Atos dos Apóstolos, 341. (mais…)

Leia Mais

nascer_sol_meditacoes_2018

A Fidelidade nos Dízimos e Ofertas

Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o SENHOR dos Exércitos. (Ageu 2:8).

O dízimo de nossas rendas ”santo é ao Senhor”. O Novo Testamento não dá novamente a lei do dízimo, como também não dá a do sábado; pois pressupõe a validade de ambos, e explica sua profunda importância espiritual. (RH, 16 de maio de 1882). Conselhos sobre Mordomia, 66.

No sistema bíblico de dízimos e ofertas, as quantias pagas por várias pessoas certamente variarão muito, visto serem proporcionais às rendas. Para o pobre, o dízimo será de uma importância comparativamente pequena, e suas dádivas serão de acordo com a sua possibilidade. Mas não é o vulto da dádiva que torna a oferta aceitável a Deus, é o propósito do coração, o espírito de gratidão e amor que ela expressa. (mais…)

Leia Mais