Reflexoes_2019

Perfeitos como Nosso Pai

Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. (Mateus 5:48).

A palavra ”pois” implica em uma conclusão, uma dedução do que foi dito antes. Jesus estivera descrevendo a Seus ouvintes a infalível misericórdia e amor de Deus, e manda-lhes portanto que sejam perfeitos. Pois que vosso Pai celeste ”é benigno até para com os ingratos e maus” (Luc. 6:35), pois que Se abaixou para vos erguer, portanto, disse Jesus, podeis tornar-vos semelhantes a Ele no caráter, e apresentar-vos irrepreensíveis diante dos homens e dos anjos. (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

Prover os Necessitados

O pobre, do sulco da terra, tira mantimento em abundância; mas há os que se consomem por falta de juízo. (Provérbios 13:23).

Os que têm adquirido riquezas, adquiriram-nas pela aplicação dos talentos que lhes foram dados por Deus; mas esses talentos para a conquista de bens foram-lhes dados a fim de que pudessem aliviar os que estão na pobreza. Esses dons foram concedidos aos homens por Aquele que faz o Seu Sol brilhe e a Sua chuva caia sobre todos, justos e injustos, para que pela produtividade da terra tenham abundante provisão para todas as suas necessidades. Os campos têm sido abençoados por Deus, e em Sua bondade fez ”provisão para os necessitados”. Sal. 68:10. (ST, 13 de junho de 1892). Beneficência Social, 15. (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

Amor ao Próximo

Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? (Mateus 5:46-47).

Enquanto éramos ainda destituídos de amor e do que nos fizesse amáveis no caráter, ”odiosos, odiando-nos uns aos outros” (Tito 3:3), nosso Pai celestial teve misericórdia de nós. ”Quando apareceu a benignidade e caridade de Deus, nosso Salvador, para com os homens, não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a Sua misericórdia, nos salvou.” Tito 3:4 e 5. Uma vez recebido o Seu amor, torna-nos, semelhantemente, bondosos e ternos, não somente para os que nos agradam, mas para com os mais faltosos e errantes pecadores. (mais…)

Leia Mais