reflexoes_2020

Perdoando a Todos

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas. Mateus 6:14-15.

Nada pode justificar o espírito irreconciliável. Aquele que não é misericordioso para com os outros, mostra não ser participante da graça perdoadora de Deus. No perdão de Deus, o coração do perdido é atraído ao grande coração do Infinito Amor. A torrente da compaixão divina derrama-se no espírito do pecador e, dele, na de outros. […] (mais…)

Leia Mais

Jó

A POSIÇÃO CORRETA NA ORAÇÃO

A ORAÇÃO E A BÊNÇÃO DE SALOMÃO

A humildade de Salomão ao tempo em que começou a levar a carga do Estado, quando ele reconheceu perante Deus: ”Sou ainda menino pequeno” (I Reis 3:7); seu marcado amor a Deus, profunda reverência pelas coisas divinas, sua desconfiança de si mesmo e exaltação do infinito Criador de tudo – todos esses traços de caráter tão dignos de emulação, foram revelados durante os serviços relacionados com a conclusão do templo, quando durante sua oração dedicatória ele se ajoelhou, postando-se na humilde posição de suplicante. Profetas e Reis 47-48. (mais…)

Leia Mais

reflexoes_2020

As Vãs Repetições

E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. Mateus 6:7-8.

Os pagãos consideravam suas orações como possuidoras em si mesmas do mérito de expiar pecados. Assim, quanto mais longas as orações, tanto maiores os merecimentos. Se se pudessem tornar santos por seus esforços, teriam em si mesmos, alguma coisa de que se regozijar, algo de que se vangloriar. Essa ideia da oração é fruto do princípio de expiação individual, o qual jaz na base de todos os falsos sistemas religiosos. Os fariseus haviam adotado essa ideia pagã acerca da oração, a qual não se acha de modo algum extinta em nossos dias, mesmo entre os que professam o cristianismo. A repetição de frases feitas, habituais, quando o coração não sente nenhuma necessidade de Deus, é da mesma espécie que as ”vãs repetições” dos pagãos. (mais…)

Leia Mais

Alimentação Original

Alimentación Original

“Amado, mi oración es que seas prosperado en todas las cosas y que tengas salud, así como prospera tu alma.” III Juan 1:2.

Nuestro cuerpo se forma con el alimento que ingerimos. En los tejidos del cuerpo se realiza de continuo um proceso de reparación, pues el funcionamiento de los órganos acarrea desgaste, y éste debe ser reparado por el alimento. Cada órgano del cuerpo exige nutrición…

Deben escogerse los alimentos que mejor proporcionen los elementos necesarios para la reconstitución del cuerpo. Em esta elección, el apetito no és una guía segura. (mais…)

Leia Mais

pastor_e_ovelhas

A oferta de Caim… e a de Abel

“Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim.” Hebreus 11:4.

No “Livro dos livros” [Bíblia Sagrada], no relato das “Origens” [Gênesis] no capítulo 4, versos 1 a 15, lemos a importante mas também esquecida história sobre Caim e Abel; de onde podemos tirar importantes lições sobre servir a Deus e prestar-lhe obediência irrestrita. Caim e Abel, filhos de Adão, diferiam grandemente em caráter. Abel era submisso à vontade de Deus; via justiça e misericórdia no trato do Criador para com a raça decaída, e com gratidão aceitou a esperança da redenção.

Diferentemente, através de sua oferta – ou seja – suas obras, Caim provou que não “amava a Deus sobre todas as coisas”. Como Abel, tivera a oportunidade. Não foi vítima de um intuito arbitrário. Um irmão não fora eleito para ser aceito por Deus, e o outro para ser rejeitado. Abel escolheu a fé e a obediência; Caim, a incredulidade e a rebeldia. Nisto consistia toda a questão. (mais…)

Leia Mais

reflexoes_2020

O Propósito da Oração

Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos. Isaías 57:15.

A oração de família, e em público, tem o seu lugar; mas é a comunhão particular com Deus que sustém a vida da alma. […]

Enquanto empenhados em nosso trabalho diário, devemos erguer a alma ao Céu em oração. Essas silenciosas petições ascendem como incenso perante o trono da graça; e o inimigo é confundido. […] (mais…)

Leia Mais