Reflexoes_2019

Amor ao Próximo

Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo? E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim? (Mateus 5:46-47).

Enquanto éramos ainda destituídos de amor e do que nos fizesse amáveis no caráter, ”odiosos, odiando-nos uns aos outros” (Tito 3:3), nosso Pai celestial teve misericórdia de nós. ”Quando apareceu a benignidade e caridade de Deus, nosso Salvador, para com os homens, não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas, segundo a Sua misericórdia, nos salvou.” Tito 3:4 e 5. Uma vez recebido o Seu amor, torna-nos, semelhantemente, bondosos e ternos, não somente para os que nos agradam, mas para com os mais faltosos e errantes pecadores.

Os filhos de Deus são os que partilham de Sua natureza. Não é a posição terrena, nem o nascimento, nem a nacionalidade, nem os privilégios religiosos, o que prova ser membro da família de Deus; é o amor, um amor que envolve toda a humanidade. Mesmo os pecadores cujo coração não se ache inteiramente cerrado ao Espírito de Deus, corresponderão à bondade; conquanto devolvam ódio por ódio, darão também amor por amor. É, porém, unicamente o Espírito de Deus que dá amor em troca de ódio. Ser bondoso para o ingrato e o mau, fazer o bem sem esperar retribuição, é a insígnia da realeza celeste, o sinal certo pelo qual os filhos do Altíssimo revelam sua elevada condição. O Maior Discurso de Cristo, 75.

Jesus disse: ”Fazei o bem aos que vos odeiam.” Luc. 6:27. Quanto podemos alcançar por seguir esta instrução jamais conseguiremos avaliar. ”Orai pelos que vos perseguem; para que vos torneis filhos de vosso Pai celeste, porque Ele faz nascer o Seu Sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos.” Mat. 5:44 e 45.

Não são muitas vezes passados por alto os princípios aqui apresentados? A quantidade de males que se podem evitar por segui-los não é de modo algum pequena, pois algumas vezes o coração dos perseguidores é susceptível de impressões divinas, como o foi o do apóstolo Paulo antes de sua conversão. É sempre melhor esforçar-se por fazer toda a vontade de Deus como Ele tem especificado. Ele cuidará dos resultados. (Man. 148, 1902). Medicina e Salvação, 256.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2019, para o pôr-do-sol de 6 de dezembro de 2019.