reflexoes_2020

Do Artificial para o Natural

Eu sou a rosa de Sarom, o lírio dos vales. Cantares 2:1.

Pais e mães, fazei com que vossos filhos aprendam das flores. Levai-os convosco ao jardim e ao campo e para baixo das frondosas árvores, e ensinai-lhes a ler na natureza a mensagem do amor de Deus. Que a lembrança dEle esteja ligada aos pássaros, às flores e às árvores. Levai as crianças a ver em tudo quanto é belo e aprazível uma expressão do amor de Deus para elas. Tornai-lhes vossa religião desejável, apresentando-a pelo lado atrativo. Esteja em vossos lábios a lei da bondade.

Ensinai às crianças que, em virtude do grande amor de Deus, sua natureza pode ser mudada, e posta em harmonia com a dEle. Ensinai-lhes que Ele quer que sua vida seja embelezada com a graça das flores. E, ao colherem elas as suaves florzinhas, ensinai-lhes que Aquele que fez as flores é mais belo do que elas. Assim se enlaçarão em torno dEle as gavinhas de seu coração. Aquele que é ”totalmente desejável” (Cant. 5:16) tornar-Se-á para elas como um companheiro diário e um amigo familiar, e sua existência será transformada à imagem de Sua pureza. O Maior Discurso de Cristo, 97-98.

Explique-se às crianças que embora seja desperdiçado muito tempo em tentativas de ostentação, nossa aparência jamais poderá comparar-se, em graça e beleza, com a das mais simples flores do campo. Desta maneira sua mente será dirigida do artificial para o natural. Fundamentos da Educação Cristã, 159.

Por que não atapetou nosso Pai celestial, a terra com marrom ou cinza? Ele escolheu a cor mais repousante, a mais adequada aos sentidos. Como alegra o coração e refrigera o espírito cansado olhar a terra revestida de vivo verdor! Sem essa cobertura, o ar ficaria cheio de pó, e o solo se assemelharia um deserto. Cada haste de relva, cada botão a desabrochar e cada flor, é um sinal do amor de Deus, e nos deveria ensinar uma lição de fé e confiança nEle. […] Vós, que suspirais pelo esplendor artificial que só a riqueza pode adquirir, por custosas pinturas, mobílias e dispendiosos vestidos, dai ouvidos à voz do divino Mestre. Ele vos faz volver às flores do campo, cujo simples desenho não pode ser igualado pela habilidade humana. (RH, 27 de outubro de 1885). Filhos e Filhas de Deus, 2005, 75.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 17 de julho de 2020.