reflexoes_2020

Imitando Judas

Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita. Mateus 6:2-3.

Nos dias dos apóstolos foram feitos planos para que alguns não ficassem isentos e outros sobrecarregados. Disposições foram aplicadas para que todos repartissem eqüitativamente as cargas da igreja de Deus, de acordo com suas variadas capacidades. […]

Aqueles que, como Judas, põem o coração nos tesouros terrenos, lamentar-se-ão como ele o fez. Seu coração cobiçou o custoso ungüento derramado sobre Jesus, mas ele procurou ocultar o egoísmo sob uma piedosa e conscienciosa preocupação pelos pobres. […] Ele desejou, na verdade, ter o perfume em suas mãos, afinal, este não deveria ter sido desperdiçado com o Salvador. Queria utilizá-lo em proveito próprio, vendê-lo e ficar com o dinheiro. Ele valorizava seu Senhor o suficiente para vendê-Lo aos ímpios por umas poucas peças de prata. Como Judas fez dos pobres um pretexto para seu egoísmo, assim, professos cristãos cujo coração é cobiçoso, procurarão ocultar seu egoísmo sob uma consciência fingida. Oh, eles temem que, adotando a doação sistemática estamos nos tornando como as igrejas nominais! “Não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita.” Mateus 6:3. Parecem possuir o consciencioso desejo de seguir exatamente a Bíblia, como eles a entendem acerca desse assunto, mas negligenciam completamente a clara admoestação de Cristo: “Vendei o que tendes, e dai esmolas.” Lucas 12:33. Testemunhos para a Igreja, Vol.1, 192.

Alguns supõem que esse texto [Mat. 6:1] ensina que devem fazer mistério de suas obras de caridade. E realizam muito pouco, desculpando-se, porque não sabem exatamente como dar. […] Essa lição de Jesus aos discípulos tinha o objetivo de repreender aqueles que desejavam receber a glória dos homens. Davam esses suas esmolas em lugares de reunião pública e, antes disso, uma proclamação pública era feita anunciando sua generosidade diante do povo. Muitos davam grandes somas meramente para ter seu nome exaltado pelos homens. Os meios dados dessa maneira eram freqüentemente extorquidos de outros, pela opressão aos assalariados e aos pobres. Idem, 193.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 10 de janeiro de 2020.