reflexoes2017_img_destac

O Culto Familiar Não Deve Ser Negligenciado

Portanto, ofereçamos sempre por Ele [Cristo] a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada. Hebreus 13:15-16.

Sentir-nos-íamos muito mais felizes e seríamos mais úteis, se nossa vida doméstica e o intercâmbio social fossem regidos pela afabilidade e a simplicidade de Cristo. Em lugar de afadigar-nos para ostentação, para causar a admiração ou a inveja das visitas, dever-nos-íamos esforçar para tornar tudo que nos cerca feliz por nosso contentamento, simpatia e amor. Que as visitas vejam que estamos procurando conformar-nos à vontade de Cristo. Vejam elas em nós, seja embora humilde nossa condição, um espírito de gratidão e contentamento. A própria atmosfera de um lar verdadeiramente cristão é de paz e tranqüilidade. Tal exemplo não será sem efeito. …

Em nossos esforços pelo conforto e felicidade dos hóspedes, não esqueçamos nossas obrigações para com Deus. A hora de oração não deve ser negligenciada por consideração nenhuma. Não converseis nem vos divirtais até que fiqueis demasiado cansados para fruir o período de devoção. Fazer isso é apresentar a Deus uma oferta defeituosa. Cedo ainda ao anoitecer, quando podemos orar, sem atropelamento e de maneira inteligente, devemos apresentar nossas súplicas, erguendo a voz em feliz e grato louvor.

Que todos quantos visitam os cristãos vejam que a hora de oração é a mais preciosa, a mais sagrada e feliz hora do dia. Essas horas de devoção exercem uma influência enobrecedora em todos quantos dela participam. Trazem uma paz e um sossego aprazíveis ao espírito. Review and Herald, 29 de novembro de 1887. Mensagens aos Jovens, 342.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2017, para o pôr-do-sol de 14 de abril de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *