nascer_sol_meditacoes_2018

O Espinho na Carne de Paulo

Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus. (Gálatas 6:17).

[Paulo] Devia levar sempre em seu corpo as marcas da glória de Cristo, em seus olhos, que tinham sido cegados pela luz celestial. História da Redenção, 275.

Paulo tinha uma aflição física; sua visão era ruim. Ele achou que, por fervorosa oração, a dificuldade pudesse ser removida. Mas o Senhor tinha Seu propósito e disse a Paulo: “Não Me fale mais nesse assunto. ’A Minha graça basta’. Ela o capacitará a suportar a enfermidade”. (Carta 207, 1899). Comentário Bíblico, Vol. 6, 1107.

A depressão mental que o apóstolo sofria era, porém, causada em grande parte por debilidades corporais, que o tornavam muito ansioso quando não estava empenhado em serviço ativo. Mas quando estava trabalhando pela salvação das almas, ele se erguia acima da fraqueza física. Sentia que a enfermidade por ele sofrida era-lhe um terrível impedimento em sua intensa obra, e repetidamente rogara ao Senhor que o aliviasse. Deus não achava conveniente responder às suas orações neste aspecto, embora desse-lhe certeza de que a graça divina lhe seria suficiente. Paulo – O Apóstolo da Fé e da Coragem, 177. [6 CB 1107].

Por meio de Paulo, Deus deu muitas lições maravilhosas para nossa instrução. Em suas visões, Paulo contemplou muitas coisas as quais não é lícito ao homem referir [Ver: II Coríntios 12]. Mas muitas outras coisas que ele viu nas cortes celestiais foram entretecidas em seus ensinos. (Carta 105, 1901). Comentário Bíblico, Vol. 6, 1106-1107.

Paulo teve uma visão do Céu e, ao discursar sobre as glórias dali, a melhor coisa que pôde fazer foi não tentar descrevê-las. Ele nos diz que “nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que O amam”. (I Coríntios 2:9). Portanto, vocês podem exercitar a imaginação ao máximo, podem tentar ao máximo compreender e considerar o eterno peso de glória, e, contudo, seus sentidos finitos, cansados e exaustos do esforço, não conseguirão entendê-lo, pois há um infinito além. Levará a eternidade toda para serem reveladas as glórias a serem expostos os preciosos tesouros da Palavra de Deus. (Man. 13, 1888). Ibidem, 1107.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2018, para o pôr-do-sol de 20 de julho de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *