reflexoes_2020

A Glória e Poder da Igreja

E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da
ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.
Atos 4:33.

 

Nos dias em que a glória do Cristo ressurgido resplandecia sobre ela, foi dito da igreja apostólica que ninguém dizia ”que coisa alguma do que possuía era sua própria”. Atos 4:32. ”Não havia, pois, entre eles necessitado algum.” Atos 4:34. ”E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.” Atos 4:33. ”E, perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, louvando a Deus e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” Atos 2:46 e 47.

Rebuscai o céu e a Terra, e não existe aí, revelada, uma verdade mais poderosa do que aquela que se manifesta em obras de misericórdia aos que necessitam de nossa simpatia e auxílio. Esta é a verdade tal como se encontra em Jesus. Quando os que professam o nome de Cristo praticarem os princípios da regra áurea, o evangelho será apoiado pelo mesmo poder que o acompanhava na era apostólica. O Maior Discurso de Cristo, 137.

Não é somente o privilégio, mas o dever de todo cristão manter uma íntima união com Cristo e ter uma rica experiência nas coisas de Deus. Então sua vida será frutífera em boas obras. Disse Cristo: ”Nisto é glorificado Meu Pai: que deis muito fruto.” João 15:8. Quando lemos a vida de homens que foram eminentes por sua piedade, muitas vezes consideramos suas experiências e realizações como muito além de nosso alcance. Mas este não é o caso. Cristo morreu por todos; e é-nos assegurado em Sua Palavra que Ele está mais pronto a dar Seu Santo Espírito àqueles que Lho pedirem do que os pais terrenos a dar boas dádivas a seus filhos. Os profetas e apóstolos não aperfeiçoaram o caráter cristão por milagre. Eles usaram os meios colocados por Deus ao seu alcance; e todos os que fizerem o mesmo esforço hão de conseguir os mesmos resultados. Santificação, 83-84.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 25 de dezembro de 2020.

Leia Mais

reflexoes_2020

Despertos para a Ação

Os tesouros da impiedade de nada aproveitam; mas a justiça livra da morte.
O SENHOR não deixa o justo passar fome, mas rechaça a aspiração dos perversos.
O que trabalha com mão displicente empobrece, mas a mão dos diligentes enriquece.
Provérbios 10:2-4.

 

Deus muitas vezes desperta alguém que livre os pobres de serem levados a situações que seriam perda para eles, mesmo que isto seja para seu prejuízo. Este é o dever do homem para com seu semelhante. Tirar vantagem da ignorância de uma pessoa porque ela não está apta a discernir as conseqüências de um determinado procedimento, não é correto. É dever de seu irmão pessoalmente expor-lhe a questão de maneira clara e fiel, com todos os pormenores, para não agir cegamente, e invalidar os recursos a que tem direito. Quando os homens observam a regra áurea: Fazei aos outros o que quereis que os outros vos façam, muitas dificuldades agora existentes seriam depressa contornadas. (Carta 85, 1896). Beneficência Social, 202.

“Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós.” Mateus 7:12. Isso se refere tanto aos que trabalham com suas mãos como aos que têm dádivas a conceder. Deus lhe deu forças e habilidade, mas você não as tem usado. Sua energia é suficiente para sustentar perfeitamente a família. Levante-se pela manhã, mesmo enquanto as estrelas ainda brilham, se necessário for. Planeje alguma coisa, e então a realize. Cumpra cada compromisso, a menos que seja prostrado pela enfermidade. Prive-se da comida e do sono de preferência a ser culpado de reter de outros aquilo que lhes é devido. Testemunhos para a Igreja, Vol. 5, 179.

A montanha do progresso não pode ser escalada sem esforço. Ninguém espere ser carregado para receber o prêmio, seja em assuntos religiosos, seja nos seculares, caso não haja diligência de sua parte. […] Os perseverantes e industriosos, não só se sentem contentes eles próprios, como contribuem grandemente para a felicidade de outros. A competência e o conforto não são em geral conseguidos senão à custa de diligente esforço. Idem, 180.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 18 de dezembro de 2020.

Leia Mais

reflexoes_2020

Quadruplicado na Moeda do Reino

Porque, como está escrito, o nome de Deus é
blasfemado entre os gentios por causa de vós.
Romanos 2:24.

A regra áurea, implicitamente, ensina a mesma verdade apresentada noutra parte do Sermão da Montanha que ”com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo”. Luc. 6:38. Aquilo que fazemos aos outros, seja bem ou seja mal, terá, certamente, sua reação sobre nós, quer em bênção quer em maldição. Tudo quanto dermos, havemos de tornar a receber. As bênçãos terrestres que comunicamos a outros podem ser, e são-no com freqüência, retribuídas em bondade. O que damos, é-nos muitas vezes recompensado, em tempos de necessidade, quadruplicado, na moeda do reino. Além disto, porém, todas as dádivas são retribuídas, mesmo aqui, em uma mais plena absorção de Seu amor, o que é o resumo de toda glória celeste e seu tesouro. E o mal comunicado volve também. Todo aquele que se tem sentido na liberdade de condenar ou levar outros ao desânimo, será, em sua própria vida, levado a passar pela experiência por que fez outros passarem; sentirá aquilo que eles sofreram devido à sua falta de compassiva compreensão e ternura.

É o amor de Deus para conosco que assim decretou. Ele nos quer levar a aborrecer nossa dureza de coração, e abrir o mesmo para que Jesus aí venha a habitar. E assim, do mal se produz um bem, e o que parecia maldição, torna-se bênção.

A norma da regra áurea é a verdadeira norma do cristianismo; tudo que a deixa de cumprir, é um engano. Uma religião que induz os homens a estimarem em pouco os seres humanos, avaliados por Cristo em tão alto valor que por eles Se deu; uma religião que nos leve a negligenciar as necessidades humanas, seus sofrimentos ou direitos, é religião falsa. Menosprezando os direitos do pobre, do sofredor e do pecador, estamo-nos demonstrando traidores a Cristo. É porque os homens usam o nome de Cristo ao passo que Lhe negam o caráter na vida que vivem, que o cristianismo tem no mundo tão pouco poder. O nome do Senhor é blasfemado por causa dessas coisas. O Maior Discurso de Cristo, 136-137.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 4 de dezembro de 2020.

Leia Mais

reflexoes_2020

O Dever e o Amor

E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Lucas 6:41.

 

Nem mesmo a sentença ”Tu, que julgas, fazes o mesmo” (Rom. 2:1), alcança a magnitude do pecado daquele que presume criticar e condenar a seu irmão. Jesus disse: ”Por que reparas tu no argueiro que está no olho de teu irmão e não vês a trave que está no teu olho?” Mat. 7:3.

Suas palavras se aplicam à pessoa que é pronta em discernir um defeito nos outros. Quando pensa que descobriu uma imperfeição no caráter ou na vida, é extremamente zelosa em buscar apontá-la; mas Jesus declara que o próprio traço de caráter desenvolvido pelo fazer esta obra anticristã é, em comparação com a falta criticada, como uma trave em comparação com um argueiro. É a própria falta do espírito de paciência e amor que o leva a fazer um mundo de um simples átomo. Aqueles que nunca experimentaram a contrição de uma completa entrega a Cristo, não manifestam em sua vida a suavizadora influência do amor do Salvador. Representam mal o brando, cortês espírito do evangelho, e ferem almas preciosas, por quem Cristo morreu. Segundo a figura empregada por nosso Salvador, aquele que condescende com o espírito de censura é culpado de um pecado maior do que aquele a quem acusa; pois não somente comete o mesmo pecado, como acrescenta ao mesmo presunção e espírito de crítica. O Maior Discurso de Cristo, 125.

Devem vencer o hábito de criticar pequenas coisas que julgam erradas. Sejam tolerantes, generosos e caridosos no julgamento de pessoas e coisas. Abram o coração à luz. Lembrem-se de que o Dever tem um irmão gêmeo –o Amor; unidos, ambos podem realizar quase tudo; mas, separados, nenhum é capaz de fazer o bem. […]

Vocês devem ser firmes em seguir os ditames de uma consciência esclarecida e suas convicções do dever; mas também guardar-se contra a intolerância e o preconceito. Não adotem um espírito farisaico. Testemunhos para a Igreja, Vol. 4, 62.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 18 de setembro de 2020.

Leia Mais

Dialogo_bolso

Diálogo entre Cristo e um Professo Cristão

Apresentaremos neste livreto, na forma figurativa, uma conversa entre Cristo e um professo cristão. Que escusas daremos nós para não seguir-Lhe o ensinamento? E, que nos responde Cristo? – Sua resposta está na Bíblia Sagrada – o único meio infalível que contêm a instrução Divina.

É nossa oração que as respostas de Cristo, através de Sua Palavra, possam tornar-se realidade para o estimado leitor.

 

Disse Jesus: “Segue-me”. Mateus 9:9.

 

(Professo cristão:) Mas eu já Lhe aceitei como meu único Salvador pessoal, que devo mais fazer?

 

(Resposta:) Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos, porque isto é o dever de todo homem. Eclesiastes 12:13.

 

(Professo cristão:) Mas não basta que eu O ame e viva na lei do amor?

 

(Resposta:) Se me amardes, guardareis os meus mandamentos. João 14:15. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama… Se alguém me ama, guardará a minha palavra. João 14:21 e 23.

 

Mas isto significa todos os Dez mandamentos?

 

Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Tiago 2:10.

 

Já O conheço Senhor e sei da Sua Verdade.

 

Aquele que diz eu O conheço e não guarda os Seus mandamentos, é mentiroso e nele não está a verdade. I João 2:4.

 

Penso que se me esforçar em segui-Lo, basta isto; não é assim?

 

Aquele que diz que está nEle, também deve andar como Ele andou. I João 2:6. Se alguém me serve, siga-Me, e, onde Eu estiver, ali estará também o meu servo. João 12:26. Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por vós, deixando-vos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. I Pedro 2:21.

 

Como o Senhor andou e qual o Seu costume?

 

E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo Seu costume na sinagoga, e levantou-se para ler. Lucas 4:16.

 

Isso foi a quase 2000 anos; se hoje o Senhor viesse a esta terra, não guardaria outro dia a não ser o sábado?

 

Eu sou o Senhor, e não mudo. Malaquias 3:6. Jesus Cristo é o mesmo ontem e hoje e eternamente. Hebreus 13:8. Não violarei o meu pacto, nem alterarei o que saiu dos meus lábios. Salmos 89:34.

 

O sábado não é coisa do velho testamento, antes da morte de Jesus?

 

E as mulheres que tinham vindo com ele da Galiléia, seguindo a José, viram o sepulcro, e como o corpo foi ali depositado. Então voltaram e prepararam especiarias e ungüentos. E no sábado repousaram, conforme o mandamento. Lucas 23:55-56.

 

Mas dependerá minha salvação da obediência ao mandamento do sábado?

 

E sendo Ele consumado, veio a ser causa de eterna salvação para todos os que lhe obedecem. Hebreus 5:9.

 

Mas será absolutamente necessário guardar os mandamentos para viver a vida eterna?

 

Se queres entrar na vida, guarda os mandamentos. Mateus 19:17. Procuremos pois entrar naquele repouso, para que ninguém caia no mesmo exemplo de desobediência. Hebreus 4:11. Os que deixam a lei louvam o ímpio, mas os que guardam a lei pelejam contra ele. Provérbios 28:4.

 

Não compreendo, Senhor, por que insistir tanto no sétimo dia; não é o domingo tão bom quanto o Sábado?

 

E abençoou o Senhor o dia sétimo e o santificou. Gênesis 2:3. Ele tem abençoado e não posso revogar. Números 23:20. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do sábado, e o santificou. Êxodo 20:11.

 

Parece-me, que se eu guardar um dia da semana seja ele qual for, já é o bastante para cumprir a lei.

 

Há caminho, que ao homem parece direito, mas, o seu fim são os caminhos da morte. Provérbios 16:25; 14:12. Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Jeremias 17:9.  As coisas espirituais são espiritualmente discernidas. I Coríntios 2:13-14.

 

Mas, Senhor, Senhor! Minha profissão não permite guardar outro dia senão o domingo.

 

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Mateus 7:21.

 

Mas eu oro a Deus.

 

O que desvia os ouvidos de ouvir a lei, até sua oração será abominável. Provérbios 28:9. Longe está o Senhor dos ímpios, mas escutará a oração dos justos. Provérbios 15:29. Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém é temente a Deus, e faz a Sua vontade, a esse ouve. João 9:31.

 

Mas, Senhor, há pessoas que fazem mil milagres em Seu nome, alguns até curam doentes, outros falam línguas estranhas, realizam coisas maravilhosas, contudo não guardam o sábado. O que o Senhor diz?

 

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, não profetizamos nós em Teu nome? E em Teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de Mim, vós que praticais a iniqüidade. Mateus 7:22-23. Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como címbalo que retine. I Coríntios 13:1. Porque este é o amor de Deus, que guardemos os Seus mandamentos; e os Seus mandamentos não são penosos. I João 5:3.

 

Reconheço que o sábado é o dia que deve ser guardado, mas minha profissão não permite que eu guarde, seria despedido e não teria possibilidade de ganhar a vida.

 

Quem achar a sua vida perdê-la-á; e quem perder a sua vida por amor de mim achá-la-á. Mateus 10:39. Pois que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e perder a sua vida? Marcos 8:36.

 

Não seria preferível que eu trabalhasse no sábado, do que minha família passar fome?

 

Vosso Pai celestial sabe que necessitas de todas estas coisas; mas buscai em primeiro lugar o reino de Deus e Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Mateus 6:32-33. Nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão. Salmos 37:25. O Senhor não deixa o justo passar fome. Provérbios 10:3.

 

Se eu guardar o sábado, serei alvo de críticas.

 

Bem aventurado sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa, exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus. Mateus 5:11-12. Se o mundo vos aborrece sabei que, primeiro do que vós, me aborreceu a mim. João 15:18.

 

Digamos que minha família não concorde, devo ir contra a vontade dela?

 

Quem ama o pai ou a mãe mais do que a Mim não é digno de Mim, e quem não toma sua cruz e não segue após Mim, não é digno de Mim. Mateus 10:37-38. Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo. Lucas 14:33.

 

Confesso que tenho medo, não sou capaz de suportar tais provas, reconheço que sou fraco.

 

Minha graça te basta, porque o Meu poder se aperfeiçoa na fraqueza, porque quando estou fraco, então sou forte. II Coríntios 12:9-13. Posso todas as coisas naquEle que me fortalece. Filipenses 4:13. Porque todo que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. I João 5:4.

 

Vejo que estou perdido, nunca guardei o sábado.

 

Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam. Atos 17:30.

 

Como poderei guardar o sábado e os demais mandamentos?

 

Então espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundices e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne, e vos darei um coração de carne, e porei dentro de vós o Meu espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis. Ezequiel 36:25-27.

 

GMM1

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Satanás declarara que era impossível ao homem obedecer aos mandamentos de Deus; e é verdade que por nossa própria força não lhes podemos obedecer. Cristo, porém, veio na forma humana, e por Sua perfeita obediência provou que a humanidade e a divindade combinadas podem obedecer a todos os preceitos de Deus.

“Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no Seu nome”. João 1:12. Este poder não está no instrumento humano. É o poder de Deus. Quando uma pessoa recebe a Cristo, recebe também o poder de viver a vida de Cristo.

Deus requer de Seus filhos perfeição. Sua lei é transcrito de Seu próprio caráter, e é o padrão de todo caráter. Esta norma infinita é apresentada a todos, para que não haja má compreensão no tocante à espécie de homens que Deus quer ter para compor o Seu reino. A vida de Cristo na Terra foi uma expressão perfeita da lei de Deus, e quando os que professam ser Seus filhos receberem caráter semelhante ao de Cristo, obedecerão aos mandamentos de Deus. Então o Senhor pode contá-los com toda confiança entre os que formarão a família do Céu. Trajados com vestes gloriosas da justiça de Cristo, participarão da ceia do Rei. Tem o direito de associar-se com a multidão lavada no sangue. Parábolas de Jesus 314-315. (Ellen G. White)

Leia Mais

Fé

Fé ou Obras?

Imagine um barco a remos, como o da figura acima. O que aconteceria se remássemos apenas de um lado? E qual a vantagem de usar os dois remos, remando dos dois lados?

 

 

Sem fé é impossível agradar a  Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que Se torna galardoador dos que O buscam. (Heb. 11:6.)

 

No mundo cristão há muitos que alegam que tudo quanto é necessário para a salvação é ter fé; as obras não são nada; a única coisa essencial é a fé. Mas a Palavra de Deus nos diz que a fé, se não tiver obras, por si só está morta. Muitos recusam obedecer aos mandamentos de Deus; dão, porém, muita importância à fé. Mas a fé precisa ter um fundamento.

 

Todas as promessas de Deus são feitas sob condições. Se fazemos Sua vontade, se andamos na verdade, então podemos pedir o que quisermos, e nos será feito. Enquanto procurarmos diligentemente ser obedientes, Deus ouvirá nossas petições; mas Ele não nos abençoará na desobediência. Se resolvemos desobedecer a Seus mandamentos, podemos exclamar: “Fé, fé, tão-somente tende fé!”, e a segura Palavra de Deus dará a resposta: “A fé sem as obras é morta.” Tia. 2:20. Semelhante fé será apenas como o bronze que soa e como o címbalo que retine. A fim de receber os benefícios da graça de Deus precisamos fazer a nossa parte; precisamos labutar fielmente e produzir frutos dignos do arrependimento…

 

Devemos fazer tudo que pudermos, de nossa parte, para combater o bom combate da fé. Devemos lutar, labutar e esforçar-nos por entrar pela porta estreita. Sempre devemos pôr o Senhor diante de nós. Com mãos limpas, com coração puro, temos de procurar honrar a Deus em todos os nossos caminhos…

 

Em certo sentido somos deixados na dependência de nossas próprias energias; devemos procurar diligentemente ser zelosos e arrepender-nos, limpar as mãos e purificar o coração de toda contaminação; devemos alcançar a norma mais elevada, crendo que Deus nos ajudará em nossos esforços. Precisamos buscar, se queremos achar, e buscar com fé; temos de bater, para que nos seja aberta a porta…

 

O perdão do pecado é prometido àquele que se arrepende e crê; a coroa da vida será a recompensa daquele que for fiel até o fim. Podemos crescer na graça aproveitando a graça que já temos. Devemos manter-nos incontaminados do mundo se quisermos ser achados irrepreensíveis no dia de Deus. A fé e as obras andam de mãos dadas; elas atuam harmoniosamente na obra de vencer. As obras sem fé são mortas, e a fé sem obras é inoperante. As obras nunca nos salvarão; é o mérito de Cristo que será eficaz em nosso favor. Mediante a fé nEle, Cristo tornará todos os nossos esforços imperfeitos aceitáveis a Deus. A fé que precisamos ter não é uma fé indolente; a fé que salva é aquela que opera pelo amor e purifica o ser. Quem quer levantar a Deus mãos santas, sem ira e sem rancor, andará inteligentemente no caminho dos mandamentos de Deus…

 

A fé e as obras nos manterão bem-equilibrados e nos tornarão bem-sucedidos na obra de aperfeiçoar o caráter cristão. Jesus declara: “Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos Céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai, que está nos Céus.” Mat. 7:21. Falando do alimento temporal, disse o apóstolo: “Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” II Tess. 3:10. A mesma regra se aplica a nossa nutrição espiritual; se alguém quer ter o pão da vida eterna, faça esforços para obtê-lo…

 

Não há desculpa para o pecado ou para a indolência. Jesus vai à frente e quer que sigamos os Seus passos. Ele sofreu, Ele Se sacrificou como nenhum de nós pode fazê-lo, para que pudesse colocar a salvação ao nosso alcance. Não precisamos ficar desalentados. Jesus veio a nosso mundo trazer poder divino ao homem, para que por meio de Sua graça possamos ser transformados à Sua semelhança.

 

Se está no coração obedecer a Deus, se são feitos esforços nesse sentido, Jesus aceita esta disposição e esforço como o melhor serviço do homem, e supre a deficiência com Seu mérito divino. Ele não aceitará os que alegam ter fé nEle e no entanto são desleais ao mandamento de Seu Pai. Muito ouvimos acerca de fé, mas precisamos ouvir muito mais acerca de obras. Muitos estão a enganar a própria alma, vivendo uma religião fácil, acomodatícia, sem cruz.

 

Mas diz Jesus: “Se alguém quiser vir após Mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz e siga-Me.” Mat. 16:24. (Fé e Obras, págs. 47-50)

 

A Palavra de Deus deve ser nosso guia, e não as opiniões ou idéias de homens. Os que desejam ser verdadeiramente santificados examinem a Palavra de Deus com paciência, com oração e com humilde contrição. Lembrem-se de que Jesus orou: “Santifica-os na verdade; a Tua palavra é a verdade.” João 17:17.

 

Cristianismo é simplesmente viver de toda palavra que procede da boca de Deus. Devemos crer e viver em Cristo, o qual é o caminho, a verdade e a vida. Temos fé em Deus quando cremos em Sua Palavra; confiamos em Deus e Lhe obedecemos quando guardamos os Seus mandamentos; e amamos a Deus quando amamos Sua lei. (Fé e Obras, pág. 122. [Ellen G. White])

Leia Mais