Reflexoes_2019

Palavras Verdadeiras e Puras

A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um. (Colossenses 4:6).

Jesus estabeleceu então um princípio que tornaria desnecessário o juramento. Disse que a exata verdade deve ser a lei da linguagem. ”Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não, porque o que passa disso é de procedência maligna.” Mat. 5:37.

Essas palavras condenam todas aquelas frases sem sentido e palavras expletivas [redundantes, desnecessárias], que beiram a profanidade. Condenam os enganosos cumprimentos, a evasiva da verdade, as frases lisonjeiras, os exageros, as falsidades no comércio, coisas comuns na sociedade e no comércio do mundo. Elas ensinam que ninguém que busque parecer o que não é, ou cujas palavras não exprimam o sentimento real do coração, pode ser chamado verdadeiro. (mais…)

Leia Mais

clamor

Folheto: Clamor da Meia-Noite

(1909)

A Mensageira do Senhor aguardando o Clamor: 9 TI 48, 155 [III TSM 310, 355].

O QUE FALTAVA AINDA SER ENTENDIDO POR TODOS OS QUE CREEM NA DOUTRINA DO SANTUÁRIO?

“O grande plano de redenção, conforme revelado na obra final para estes últimos dias, deve ser cuidadosamente estudado. As cenas relacionadas com o santuário celestial devem de tal modo impressionar o espírito e o coração de todos, que estes sejam capazes de impressionar também a outros. Todos precisam compreender melhor a obra da expiação que está sendo efetuada no santuário do Céu. Quando essa importante verdade for reconhecida e compreendida, os que a abraçaram trabalharão de acordo com Cristo, a fim de preparar um povo que esteja em pé no grande dia de Deus e seus esforços serão bem-sucedidos. (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

A Questão do Juramento – Parte III

Não tomarás o nome do SENHOR teu Deus em vão; porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão. (Êxodo 20:7).

Este mandamento não somente proíbe os falsos juramentos e juras comuns mas veda-nos o uso do nome de Deus de maneira leviana ou descuidada, sem atentar para a sua terrível significação. Pela precipitada menção de Deus na conversação comum, pelos apelos a Ele feitos em assuntos triviais, e pela freqüente e impensada repetição de Seu nome, nós O desonramos. ”Santo e tremendo é o Seu nome.” Sal. 111:9. Todos devem meditar em Sua majestade, pureza e santidade, para que o coração possa impressionar-se com uma intuição de Seu exaltado caráter; e Seu santo nome deve ser pronunciado com reverência e solenidade. Patriarcas e Profetas, 306-307. (mais…)

Leia Mais

parabola_img_destac

Comentário sobre a Parábola das Dez Virgens e Clamor da Meia-Noite

Não é exagero dizer que o tema da “Parábola das Dez Virgens & Clamor da Meia-Noite” é um dos mais essenciais para o adventismo de hoje, bem como um dos temas mais carentes de estudo aprofundado. A presente literatura que está agora ao alcance do leitor, chega a fim de remediar a falta de materiais que se aprofundam na aplicação profética desta parábola. Aplicação esta que tem relação intima com a história do movimento adventista.

Por que seria esse assunto um dos mais essenciais para nossos dias?

Antes de ser respondida esta pergunta, devemos analisar alguns textos da pena de Ellen G. White: (mais…)

Leia Mais

HISTORIA_DESTACADA_SLIDE

Nosso Fundamento e História

BASE PARA O SURGIMENTO DO MOVIMENTO:       OBEDIÊNCIA AOS MANDAMENTOS DE DEUS

Acreditamos na forma de Deus trabalhar com um povo, tal como escrito por Ellen G. White:

“O Senhor Jesus sempre terá um povo escolhido para servi-Lo. Quando o povo judeu rejeitou a Cristo, o Príncipe da vida, Ele retirou deles o reino de Deus e transferiu-o aos gentios. Deus continuará a trabalhar desse modo com todo ramo de Sua obra. (mais…)

Leia Mais