reflexoes_2020

Espalhar a Verdade

Minha é a prata, e meu é o ouro, diz o SENHOR dos Exércitos. Ageu 2:8.

Vi que a mensagem: ”Vendei os vossos bens e dai esmola”, não tem sido apresentada por alguns em sua clara luz, e o objetivo das palavras de nosso Salvador não tem sido claramente apresentado. O objetivo de vender não é dar aos que podem trabalhar e sustentar-se a si mesmos, mas para espalhar a verdade. É um pecado sustentar e favorecer a indolência dos que podem trabalhar. Alguns têm sido zelosos em assistir a todas as reuniões, não para glorificar a Deus, mas por causa de ”pão e peixe”. Muito melhor seria que tais pessoas ficassem em casa trabalhando com as próprias mãos, ”porque isto é bom”, a fim de suprir as necessidades de suas famílias e terem alguma coisa para dar para o sustento da preciosa causa da verdade presente. Primeiros Escritos, 57-58.

Nunca deve o obreiro que organiza pequenos grupos aqui e ali, dar aos recém-convertidos à fé, a impressão de que Deus não exige que eles trabalhem sistematicamente em auxiliar na manutenção da causa, seja por seus trabalhos pessoais, seja por meio de seus recursos. OE 222.

É o propósito de Deus que ricos e pobres sejam intimamente ligados pelos laços da simpatia e da prestatividade. Ele tem um plano para nós, individualmente. A todos os que O servirem designou Ele um trabalho. Ordena que nos interessemos em cada caso de sofrimento ou necessidade que nos venha ao conhecimento. (RH, 20 de junho de 1893). Conselhos Sobre Mordomia, 161.

Muitos se lisonjeiam com a ideia de que seu desejo de ganhar é para ajudar a causa de Deus. Alguns prometem que quando ganharem tal importância, farão muito bem com ela e contribuirão para o avanço da causa da verdade presente. Mas quando realizam suas expectativas, não estão mais prontos do que antes para ajudar a causa. Novamente garantem que após comprarem aquela sonhada casa ou terreno, e pagarem por eles, então negociarão com os meios para fazer avançar a causa de Deus. Contudo, uma vez que o desejo do seu coração é alcançado, mostram menos disposição do que nos dias de sua pobreza, para auxiliar no progresso da obra divina. […] O engano das riquezas os conduz, passo a passo, até perderem todo o amor pela verdade e ainda a se gabarem de nela crer. Testemunhos para a Igreja, Vol. 1, 477.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 3 de abril de 2020.