reflexoes_2020

O Propósito da Oração

Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos. Isaías 57:15.

A oração de família, e em público, tem o seu lugar; mas é a comunhão particular com Deus que sustém a vida da alma. […]

Enquanto empenhados em nosso trabalho diário, devemos erguer a alma ao Céu em oração. Essas silenciosas petições ascendem como incenso perante o trono da graça; e o inimigo é confundido. […]

A oração é a respiração da alma. É o segredo do poder espiritual. Nenhum outro meio de graça a pode substituir, e a saúde da alma ser conservada. A oração põe a alma em imediato contato com a Fonte da vida, e fortalece os nervos e músculos da vida religiosa. Negligenciai o exercício da oração, ou a ela vos dediqueis de quando em quando, com intermitências, segundo pareça conveniente, e perdereis vossa firmeza em Deus. As faculdades espirituais perdem sua vitalidade, a experiência religiosa carece de saúde e vigor. Obreiros Evangélicos, 254-255.

Mas a oração não é compreendida como devia ser. Nossa oração não deve ter o fim de informar a Deus de qualquer coisa que Ele não sabe. O Senhor conhece os segredos de cada alma. Nossas súplicas não necessitam ser longas e em voz alta. Deus lê os pensamentos ocultos. Podemos orar em segredo, e Aquele que vê secretamente ouvirá, recompensando-nos publicamente.

As orações feitas a Deus para falar-Lhe de toda a nossa indignidade, quando não nos sentimos absolutamente indignos, são orações hipócritas. É a oração contrita que o Senhor atende.

A oração não tem o fim de operar qualquer mudança em Deus; ela nos põe em harmonia com Ele. Não ocupa o lugar do dever. […]

A força adquirida em oração a Deus, nos preparará para os deveres diários. As tentações a que estamos diariamente expostos tornam a oração uma necessidade. (The Youth’s Instructor, 18 de agosto de 1898). Mensagens aos Jovens, 247-248.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2020, para o pôr-do-sol de 7 de fevereiro de 2020.