Capa Divindade Triúna_2

Jesus é Existente por Si Mesmo

Eis que eu envio um anjo diante de ti, para que te guarde pelo caminho, e te leve ao lugar que te tenho preparado. Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebeldia; porque o meu nome está nele. Êxodo 23:20-21. (Ver também: Êxodo 3:2-4; Atos 7:30-32).

Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, Eu Sou. João 8:58.

 

               Deus sempre existiu. Ele é o grande EU SOU. […] É infinito e onipresente. Nenhuma palavra nossa pode descrever a Sua grandeza e majestade. (Man. 132, 1902). Medicina e Salvação, 92.

               Toda a comunhão entre o Céu e a raça decaída tem sido por meio de Cristo. Patriarcas e Profetas, 366.

            Foi Cristo que, do monte Horebe, falou a Moisés, dizendo: ”EU SOU O QUE SOU…. Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.” Êxo. 3:14. Desejado de Todas as Nações, 24.

            Havia sido Ele [Cristo], na qualidade de Anjo do concerto, quem Se revelara aos patriarcas em outras eras. Moisés estremeceu, enchendo-se de terror quando o Senhor o chamou pelo nome. (ST, 26 de fevereiro de 1880). Verdade Sobre os Anjos, 90.

            O Filho de Deus partilhava do trono do Pai, e a glória do Ser eterno, existente por Si mesmo, rodeava a ambos. Patriarcas e Profetas, 36.

            Com solene dignidade, respondeu Jesus: ”Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse Eu Sou.” João 8:58. Fez-se silêncio na vasta assembléia. O nome de Deus, dado a Moisés para exprimir a idéia da presença eterna, fora reclamado como Seu pelo Rabi da Galiléia. Declarara-Se Aquele que tem existência própria, Aquele que fora prometido a Israel, ”cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade”. Miq. 5:2. Desejado de Todas as Nações, 469-470.

            Cristo é o Filho de Deus, preexistente, existente por Si mesmo. … Falando de Sua preexistência, Cristo conduz a mente através de séculos incontáveis. Afirma-nos que nunca houve tempo em que Ele não estivesse em íntima comunhão com o eterno Deus. Aquele cuja voz os judeus estavam então ouvindo estivera com Deus como Alguém que vivera sempre com Ele. (Signs of the Times, 29 de agosto de 1900). Evangelismo, 615.