Capa Divindade Triúna_2

O TÍTULO FILHO DE DEUS PARA CRISTO

(Apêndice da “Reflexões Semanais 2021: Divindade Triúna”).

A Bíblia Sagrada, em Lucas 1:35, deixa evidente que Cristo seria chamado Filho de Deus a partir de Sua encarnação (“O Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus”). Em II Samuel 7:12-14 nas palavras de Deus para Davi, é deixado ainda mais notório que esta relação de Pai e Filho, literalmente, seria apenas quando Cristo se tornasse um homem da descendência de Davi. A afirmação de Deus acerca do Messias, o prometido Salvador (“Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho”), é clara o suficiente.

O relacionamento que Deus queria ter conosco, Ele primeiramente demonstrou através de Cristo. Um relacionamento tão íntimo como de um pai para com seus filhos (Ver PJ 141-142 e DTN 113). Seu amor e cuidado por nós, é representado como o de um pai pelo filho, como o de um marido pela sua esposa (Efésios 5:25), e também como o de uma mãe pelo filho (Isaías 49:15).

Cristo sempre esteve unido com Deus Pai, e não foi diferente quando se tornou homem, pois, esteve ligado com Deus durante toda a Sua vida na Terra. Não lhe era necessário o batismo, mas se batizou para nos dar o exemplo. Quanto a nós, é necessário o novo nascimento representado pelo batismo para sermos ligados com Deus. A queda de Adão rompeu nosso ligação com o Criador. Jesus é a ponte sobre o abismo do pecado que nos liga a Deus. Ele é o mediador que torna possível sermos filhos de Deus. Mas, em tudo isso, Ele primeiro nos deu o exemplo, nos abrindo o caminho desta grande salvação, sendo Ele mesmo um filho de Deus como nós; um homem ligado ao Criador. Assim, o que foi dito para Cristo em II Samuel 7:14: “Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho”, agora é declarado a nós: “Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho”. Apocalipse 21:7.