Reflexoes_2019

Sofrimentos e Perseguições

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus. (Mateus 5:10).

Depois de explicar em que consistia a verdadeira felicidade, e como pode ser obtida, Jesus indicou mais definidamente os deveres de Seus discípulos, como mestres escolhidos por Deus para levar outros ao caminho da justiça e da vida eterna. Sabia que haveriam de ser muitas vezes decepcionados e sofrer desânimos, que enfrentariam decidida oposição, seriam insultados e rejeitado o seu testemunho. O Desejado de Todas as Nações, 305.

A Seus seguidores não dá Jesus nenhuma esperança de glória ou riquezas terrestres ou de uma vida livre de tentações, mas mostra-lhes o privilégio de trilhar com o Senhor o caminho da abnegação e suportar calúnias do mundo que os não conhece. […] (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

A Paz de Cristo

Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus. (Mateus 5:9).

Cristo é o ”Príncipe da Paz” (Isa. 9:6), e é Sua missão restituir à Terra e ao Céu a paz que o pecado arrebatou. ”Sendo, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo.” Rom. 5:1. Todo aquele que consente em renunciar ao pecado, e abre o coração ao amor de Cristo, torna-se participante dessa paz celestial. (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

A Verdadeira Santificação

Os aflitos e necessitados buscam águas, e não há, e a sua língua se seca de sede; eu o SENHOR os ouvirei, eu, o Deus de Israel não os desampararei. Abrirei rios em lugares altos, e fontes no meio dos vales; tornarei o deserto em lagos de águas, e a terra seca em mananciais de água. (Isaías 41:17-18).

Ao discernirmos a perfeição do caráter de nosso Salvador, havemos de desejar ser inteiramente transformados, e renovados à imagem de Sua pureza. Quanto mais conhecermos a Deus, tanto mais elevado será nosso ideal de caráter, e mais veemente o nosso anseio de Lhe refletir a imagem. […] (mais…)

Leia Mais

escrivao

Um grande desapontamento em 1844

Os Estudos Especiais para o Lar e a Escola Sabatina do segundo trimestre do ano (abril-junho de 2019), iniciam com a doutrina do ministério de Cristo no santuário celestial. Nesta fase dos estudos são analisadas várias doutrinas que estão relacionadas com o assunto do santuário. Temas estes que são fundamentais para a fé adventista.

Ellen G. White comenta sobre o período após o grande desapontamento e diz que: “Posto que muitos abandonassem a anterior contagem dos períodos proféticos, negando a exatidão do movimento nela baseado, outros não estavam dispostos a renunciar a pontos de fé e experiência que eram apoiados pelas Escrituras e pelo testemunho do Espírito de Deus. (mais…)

Leia Mais

coracao

Purificados Plenamente

Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus. (Mateus 5:8).

Os judeus eram tão meticulosos quanto à limpeza cerimonial, que suas regras eram extremamente pesadas. Tinham o espírito preocupado com regras e restrições e o temor de contaminação exterior, e não percebiam a mancha que o egoísmo e a malícia comunicavam à alma.

Jesus não menciona essa pureza cerimonial como uma das condições de entrar em Seu reino, mas indica a necessidade da pureza de coração. ”A sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura.” Tia. 3:17. (mais…)

Leia Mais

caleiro_nas_montanhas

Lição A Igreja de Deus Através dos Séculos – Parte V

Faça o download da lição “A Igreja de Deus Através dos Séculos – Parte V”, publicada para o 2º trimestre (abril-junho) de 2019, e estude temas como:

  • A Doutrina de Cristo no Santuário Celestial
  • O Julgamento Divino
  • A Vinda do Esposo
  • Primeiros Relatos da História de Ellen G. White
  • Primeira Visão de Ellen G. White
  • Ellen Testificando em Favor da Verdade
  • O Dragão e as Bestas do Apocalipse
  • A Lei de Deus
  • A Controvérsia Final

(mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

Alcançando Misericórdia

Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. (Mateus 5:7).

Nunca houve tempo em que fosse maior a necessidade do exercício da misericórdia do que hoje. Ao redor de todos nós estão os pobres, os sofredores, os aflitos, os tristes, os que estão prestes a perecer.

Os que têm adquirido riquezas, adquiriram-nas pela aplicação dos talentos que lhes foram dados por Deus; mas esses talentos para a conquista de bens foram-lhes dados a fim de que pudessem aliviar os que estão na pobreza. (ST, 13 de junho de 1892). Beneficência Social, 15. (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

Mansos como Seu Divino Mestre

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra. (Mateus 5:5).

Há, através das bem-aventuranças, uma progressão na experiência cristã. Os que sentiram sua necessidade de Cristo, os que choraram por causa do pecado, e se sentaram com Cristo na escola da aflição, hão de, com o divino Mestre, aprender a ser mansos.

A paciência e a brandura ao sofrer ofensas, não eram características apreciadas pelos pagãos e pelos judeus. A declaração feita por Moisés sob a inspiração do Espírito Santo, de ser ele o homem mais manso que havia sobre a Terra, não teria sido considerada pelo povo de seu tempo como um louvor; teria antes provocado piedade ou desprezo. Mas Cristo coloca a mansidão entre os primeiros atributos necessários para habitar em Seu reino. Em Sua própria vida e caráter revela-se a divina beleza dessa graça preciosa. O Maior Discurso de Cristo, 13-14. (mais…)

Leia Mais

Reflexoes_2019

O Fim é Salvação

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus. (II Coríntios 1:3-4).

E também para os que choram em provação e dor, existe conforto. A amargura do desgosto e da humilhação é preferível às satisfações do pecado. Por meio da aflição revela-nos Deus os lugares infeccionados em nosso caráter, para que, por Sua graça, possamos vencer nossas faltas. Desconhecidos capítulos que nos dizem respeito são-nos patenteados, e sobrevém a prova, a ver se aceitamos a repreensão e o conselho de Deus. Quando provados, não nos devemos afligir e impacientar. Não nos devemos rebelar, ou buscar fugir à mão de Cristo. Antes humilhar a alma perante Deus. […] Os caminhos do Senhor são de misericórdia, e o fim é salvação. O Desejado de Todas as Nações, 301. (mais…)

Leia Mais

choro

A Consolação dos Tristes

Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados. (Mateus 5:4).

Por essas palavras Cristo não ensina que o chorar em si mesmo tenha poder para remover a culpa do pecado. Não sanciona a suposta ou voluntária humildade. O choro a que Se refere, não consiste em melancolia e lamentação. Ao passo que nos afligimos por causa do pecado, cumpre-nos regozijar-nos no precioso privilégio de ser filhos de Deus.

Entristecemo-nos muitas vezes, porque nossas más ações nos trazem desagradáveis conseqüências; mas isso não é arrependimento. A verdadeira tristeza pelo pecado é o resultado da operação do Espírito Santo. Este revela a ingratidão da alma que menosprezou e ofendeu o Salvador, levando-nos contritos ao pé da cruz. Por todo pecado é Jesus novamente ferido; e ao olharmos Àquele a quem traspassamos, choramos as transgressões que Lhe trouxeram angústia. Tal pranto levará à renúncia do pecado. (mais…)

Leia Mais