fim_da_linha_slide

Está chegando o fim da jornada

Nos Estudos Especiais para o Lar e a Escola Sabatina do terceiro trimestre do ano (julho-setembro de 2019), será concluída nossa jornada pela história da igreja. Nesta parte 6 e final nos deteremos mais em considerações doutrinárias indispensáveis.

Nos primeiros estudos se enfatizará mais uma vez o papel da igreja de recuperar as verdades que se perderam nos tempos de trevas espirituais. Ellen G. White comenta que: “Os que receberam a luz concernente ao santuário e à imutabilidade da lei de Deus, encheram-se de alegria e admiração, ao verem a beleza e harmonia do conjunto de verdades que se lhes desvendaram ao entendimento” (O Grande Conflito, 454).

Devemos estar prontos para aprender preciosa lições com a história passada. A mensageira do Senhor comenta: “A história da igreja nos ensina que o povo de Deus não deve ficar estereotipado em suas teorias da fé, mas preparar-se para nova luz, para abrir a verdade revelada em Sua Palavra. A história passada do avanço da verdade em meio ao erro e às trevas, mostra-nos que a verdade sagrada não é acalentada e procurada pela maioria”. (Cristo Triunfante, 316). Infelizmente “há milhares que não ousam receber coisa alguma contrária ao seu credo, ou ao ensino adotado por sua igreja, por mais claro que esteja revelada nas Escrituras” (O Grande Conflito, 596).

A orientação divina para nossa vida é que: “O primeiro e mais elevado dever de todo ser racional é aprender das Escrituras o que é a verdade, e então andar na luz, animando outros a lhe seguirem o exemplo. Devemos dia após dia estudar a Bíblia, diligentemente, ponderando todo pensamento e comparando passagem com passagem. Com o auxílio divino devemos formar nossas opiniões por nós mesmos, visto termos de responder por nós mesmos perante Deus” (Idem, 598).

Lembrando que: “Nunca se deve estudar a Bíblia sem oração. Somente o Espírito Santo nos pode fazer compreender a importância das coisas fáceis de se perceberem, ou impedir-nos de torcer verdades difíceis de serem entendidas” (Idem, 599).

Acesse a lição da escola sabatina aqui.

Indo mais adiante nos estudos, é revelado como remanescente fiel – o pequeno rebanho do Senhor – é tratado pelos que professam ser cristãos. Vejamos os textos:

“Os professos cristãos de hoje que rejeitam a luz, não serão mais favoráveis àqueles que recebem a luz da verdade e nela se regozijam, do que o foram os judeus nos dias de Cristo. […] Considerarão os crentes como um povo pequeno, fraco, um punhado de fanáticos, e deles falarão zombeteiramente”. (Cristo Triunfante, 317).

“À medida que as pessoas ficam interessadas na verdade, os pastores de outras igrejas lhes dizem – e essas palavras são ecoadas pelos membros das ditas igrejas: “Esse povo não tem igreja, e não tendes lugar de culto. Sois um grupinho, pobre e ignorante. Em breve os pastores irão embora, e o interesse há de desaparecer. Então haveis de abandonar essas novas idéias que tendes recebido.” (Obreiros Evangélicos, 431).

Ao irromper a perseguição final o povo de Deus ainda será um povo pouco conhecido:

“Vi que as igrejas nominais e os adventistas nominais, como Judas, hão de trair-nos aos católicos para obterem sua influência contra a verdade. Os santos serão então um povo quase desconhecido, de quem os católicos terão pouco conhecimento”. (Unpublished Manuscript Testimonies of Ellen G. White, 23 de outubro de 1850).

Os estudos tratam ainda sobre a verdadeira santificação e mais informações quanto a obra final da expiação. Destacando que: “O juízo ora se realiza no santuário celestial. Há muitos anos esta obra está em andamento. Breve, ninguém sabe quão breve, passará ela aos casos dos vivos. Na augusta presença de Deus nossa vida deve passar por exame” (O Grande Conflito, 490). Portanto: “Silenciosamente, despercebida como o ladrão à meia-noite, virá a hora decisiva que determina o destino de cada homem, sendo retraída para sempre a oferta de misericórdia ao homem culpado” (Idem, 491).

Na segunda parte do trimestre são feitos esclarecimentos e advertências quanto aos enganos de Satanás, as ciladas que ele desenvolveu ao decorrer de todo este tempo de conflito. Sendo assim, são desmascarados os engodos da alma inerentemente imortal, do tormento eterno para os ímpios, e o espiritismo moderno.

A mensageira de Deus atesta: “As opiniões aterrorizadoras acerca de Deus, que pelos ensinos do púlpito são espalhadas pelo mundo, têm feito milhares, e mesmo milhões de céticos e incrédulos” (Idem, 536). Cumpre, então, propagarmos a verdade bíblica, ignorada vastamente devido à consolidação na mente das pessoas das tradições humanas que levaram tantos a formarem concepções errôneas acerca de Deus.

Nas lições 10-13, é relatada a exaltação do domingo ao decorrer da história e a ameaça à consciência que se concretizará nas cenas finais da história deste mundo.

A última lição traz o assunto da vinda do outro anjo de Apocalipse 18. O último trabalho a ser realizado pela igreja de Deus. Ocasião que normalmente é denominada por “chuva serôdia”, isto é, o derramamento do Espírito Santo sem medida. Portanto, o último convite divino à raça humana será feito em grande poder, de modo que iluminará toda a Terra do conhecimento sobre Deus. (Habacuque 2:14). Todos serão levados à decisão final de se submeter ao governo amoroso do Deus criador ou se juntar à rebelião do maligno tirano Satanás.

Finalizaremos com dois textos inspirados e inspiradores que nos revelam qual deve ser nosso portar se quisermos tomar parte nesta obra final do evangelho:

“Devemos desfazer-nos dos nossos planos acanhados, egoístas, lembrando que temos um trabalho da maior magnitude e da mais elevada importância. Ao realizar esse trabalho, estamos fazendo soar a primeira, segunda e terceira mensagens angélicas, e assim, sendo preparados para a vinda do outro anjo celeste que com sua glória iluminará o mundo” (Testemunhos para a Igreja, Vol. 6, 406).

“Não necessitamos estar ansiosos quanto à chuva serôdia. Tudo o que devemos fazer é manter limpa a vasilha e preparada para receber a chuva celestial e orar: “Que caia a chuva serôdia em minha vasilha; que a luz do glorioso anjo que se une ao terceiro anjo resplandeça sobre mim; dá-me uma parte na obra, em fazer soar a proclamação; deixa-me ser colaborador com Jesus Cristo.” (Eventos Finais, 194).

Acesse a lição da escola sabatina aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *