reflexoes2017_img_destac

Os Salmos de Davi (Parte 2)

Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo. Torna a dar-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário. Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores a ti se converterão. Salmos 51:10-13.

Respiram a mesma confiança as palavras escritas por Davi quando, como rei destronado e despojado da coroa, fugia de Jerusalém pela rebelião de Absalão. Exausto com a dor e cansaço de sua fuga, ele e seus companheiros demoraram-se ao lado do Jordão algumas horas para descansar. Despertou com o chamado para fugir imediatamente. Nas trevas, a passagem daquele rio profundo e torrentoso teve de ser feita por toda aquela multidão de homens, mulheres e crianças; pois bem perto estavam, após eles, as forças do filho traidor.

Naquela hora da mais negra provação, cantou Davi:

”Com a minha voz clamei ao Senhor;

Ele ouviu-me desde o Seu santo monte.

”Eu me deitei e dormi;

Acordei, porque o Senhor me sustentou.

Não terei medo de dez milhares de pessoas

que se puseram contra mim ao meu redor.” Sal. 3:4-6.

Depois de seu grande pecado, na angústia do remorso e desgosto de si próprio, ainda se voltava para Deus como o seu melhor amigo:

”Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a Tua benignidade;

Apaga as minhas transgressões,

Segundo a multidão das Tuas misericórdias.

Purifica-me com hissopo, e ficarei puro;

Lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.” Sal. 51:1 e 7. Educação, 164-165.


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2017, para o pôr-do-sol de 18 de agosto de 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *