Reflexoes_2019

Mansos como Seu Divino Mestre

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra. (Mateus 5:5).

Há, através das bem-aventuranças, uma progressão na experiência cristã. Os que sentiram sua necessidade de Cristo, os que choraram por causa do pecado, e se sentaram com Cristo na escola da aflição, hão de, com o divino Mestre, aprender a ser mansos.

A paciência e a brandura ao sofrer ofensas, não eram características apreciadas pelos pagãos e pelos judeus. A declaração feita por Moisés sob a inspiração do Espírito Santo, de ser ele o homem mais manso que havia sobre a Terra, não teria sido considerada pelo povo de seu tempo como um louvor; teria antes provocado piedade ou desprezo. Mas Cristo coloca a mansidão entre os primeiros atributos necessários para habitar em Seu reino. Em Sua própria vida e caráter revela-se a divina beleza dessa graça preciosa. O Maior Discurso de Cristo, 13-14.

“Bem-aventurados os mansos [aqueles que são gentis e perdoadores; que quando injuriados, não revidam, mas manifestam um espírito dócil e não se têm em alto conceito], porque eles herdarão a Terra.” Mateus 5:5. Testemunhos par a Igreja, Vol. 2, 631.

As dificuldades que temos de enfrentar podem ser muito diminuídas por aquela mansidão que se esconde em Cristo. Se possuirmos a humildade de nosso Mestre, sobrepor-nos-emos aos menosprezos, às repulsas, aos aborrecimentos a que estamos diariamente expostos, e estes deixarão de nos lançar sombra sobre o espírito. A mais elevada prova de nobreza num cristão é o domínio de si mesmo. Aquele que, em face de maus-tratos ou de crueldade, deixa de manter espírito calmo e confiante, rouba a Deus de Seu direito de nele revelar Sua própria perfeição de caráter. Humildade de coração é a força que dá vitória aos seguidores de Cristo; é o penhor de sua ligação com as cortes do alto. O Desejado de Todas as Nações, 301.

Haveis errado? Não permitais que isso vos desanime. O Senhor pode permitir-vos cometer pequenos erros para vos livrar de cometerdes erros maiores. Ide a Jesus, pedi-Lhe perdão, e então crede que Ele o faz. […] Quando vos forem ditas palavras desencorajadoras, destituídas de bondade, não revideis. Não repliqueis, a não ser que possais fazê-lo com palavras bondosas. (RH, 7 de abril de 1904). Beneficência Social, 152-153.

Muito melhor nos é sofrer sob falsa acusação, do que nos infligirmos a nós mesmos a tortura da desforra sobre os nossos inimigos. O espírito de ódio e vingança teve sua origem em Satanás, e só pode trazer mal sobre aquele que o nutre. Humildade de coração, aquela mansidão que é o fruto de permanecer em Cristo, é o verdadeiro segredo da bênção. ”Ele adornará os mansos com a salvação.” Sal. 149:4. O Maior Discurso de Cristo, 16-17


Esta publicação está presente nas Reflexões Semanais 2019, para o pôr-do-sol de 8 de março de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *